Seul confirma que míssil testado por Pyongyang pode atingir EUA

Na terça-feira, informação havia sido confirmada pelo secretário de Estado americano, Rex Tillerson; forças sul-coreanas e americanas lançaram dois mísseis balísticos como ‘mensagem de advertência’ durante exercício militar

O Ministério da Defesa da Coreia do Sul confirmou nesta quarta-feira, 5, que o projétil lançado na véspera pela Coreia do Norte era um míssil balístico intercontinental (ICBM), o que representa um grande avanço armamentístico para Pyongyang, já que poderia atingir o território americano.

A conclusão do Ministério de Defesa sul-coreano é que se trata de um ICBM com capacidade para percorrer entre 7 mil e 8 mil quilômetros e viria a ser uma versão melhorada do Hwasong-12, que tem alcance médio, disse um porta-voz da pasta.

O secretário de Estado americano, Rex Tillerson, havia confirmado na terça-feira que se tratava do teste de um míssil balístico intercontinental. “Os EUA condenam fortemente o lançamento pela Coreia do Norte de um míssil balístico intercontinental. Testar um ICBM representa uma nova escalada na ameaça aos EUA, aos nossos aliados e parceiros, à região e ao mundo.”

O secretário acrescentou que Washington “nunca aceitará uma Coreia do Norte armada com aparato nuclear”, e qualificou o governo de Pyongyang de “regime perigoso”.

Ainda nesta quarta-feira, EUA e Coreia do Sul realizaram disparos de mísseis durante um exercício que simulava um ataque de precisão contra a liderança norte-coreana.

Os dois mísseis atingiram um alvo hipotético, “demonstrando a capacidade de bombardeio de precisão contra o quartel-general do inimigo em um momento de emergência”.

Fonte: Estadão Conteúdo
Imagem destaque: Reuters