São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia vão adotar vacina fracionada da febre amarela

Dose antes aplicada em uma só pessoa será utilizada em quatro. Divisão da vacina vai garantir imunização nessas regiões, diz Ministério da Saúde.

O Ministério da Saúde anunciou nesta terça-feira (9) que os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia vão adotar a dose fracionada da vacina contra a febre amarela.

Com a divisão, uma dose que antes era aplicada em uma só pessoa será destinada para quatro. Segundo o Ministério da Saúde, uma mesma dose poderia servir para até cinco pessoas — mas o governo irá trabalhar com uma “margem de segurança”.

Ainda, a dose fracionada não será destinada a todos, diz a pasta. Crianças de 9 meses a até 2 anos, pessoas com condições clínicas específicas (como pacientes com HIV/Aids), gestantes e viajantes internacionais vão continuar tomando a dose padrão.

A meta do governo é vacinar 19,7 milhões de pessoas em 75 municípios destes estados. Ao todo, 15 milhões receberão a dose fracionada da vacina e outras 4,7 milhões, a dose padrão.

“Há oito anos se acompanham os resultados com pessoas que receberam a dose fracionada e a imunização é a mesma dos que receberam a dose padrão”, declarou o ministro Ricardo Barros.

A divisão de uma mesma dose já vem sendo estudada há algum tempo pelo Ministério da Saúde, que chegou a cogitar o fracionamento em março do ano passado. Agora, com a divulgação de mais casos e mortes em São Paulo, a pasta decidiu adotar a divisão para garantir a imunização.

Ao todo, 11 casos foram confirmados desde julho de 2017: SP (8), RJ (1), MG (1) e DF (1).

O Ministério informa ainda que 92 casos de febre amarela estão em investigação e 278 foram descartados. Em animais, 358 casos foram confirmados.

As vacinas serão fornecidas e produzidas or Bio-Manguinhos, laboratório da Fiocruz, mesma instituição que fez testes com a vacina fracionada que demonstraram sua eficácia.

“Não sabemos a extensão do que vai acontecer com febre amarela neste ano e por precaução estamos regulando nosso estoque, reservando vacinas no estoque, para eventuais necessidades”, disse Barros.

É a primeira vez que a divisão da vacina é feita no Brasil — antes, o método havia sido usado na África em 2016, também com fornecimento da Fiocruz.

OMS aprovou divisão em casos especiais

A estratégia de fracionamento é uma medida preventiva recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) quando há aumento de epizootia (espécie de epidemia que atinge animais) e casos de febre amarela silvestre de forma intensa, com risco de expansão da doença em cidades populosas e que não tinham recomendação para vacinação até então.

De acordo com o ministério, estudos feitos pela Fiocruz garantem que a pessoa vacinada com a dose fracionada tem pelo menos 8 anos de imunidade.

“Nós acompanharemos os estudos. Se em um determinado momento, a dose fracionada apresentar uma redução, vamos chamar de volta. Pode ser que algum dia, se precisar, vamos chamar para um reforço”, disse Ricardo Barros.

O Ministério informa que está seguindo regras da Organização Mundial da Saúde, que autorizou o fracionamento em casos especiais.

“Não sabemos a extensão do que vai acontecer com febre amarela neste ano e por precaução estamos regulando nosso estoque, reservando vacinas no estoque, para eventuais necessidades”, disse Barros.

O ministro disse ainda que não está descartado ampliar o fracionamento se surgir necessidade de vacinação em outras regiões com grande população.

Confira o período de vacinação em cada estado

São Paulo

A vacinação será realizada em 52 municípios. A meta de vacinação é de 6,3 milhões de pessoas. Período de campanha: 3 a 24 de fevereiro.

Rio de Janeiro

Vacinação será realizada em 15 municípios. A meta é de 10 milhões de pessoas vacinadas. Período de campanha: 19 de fevereiro a 9 de março.

Bahia

Vacinação será realizada em 8 municípios, com meta de 3,3 milhões de imunizados. Período da campanha: 19 de fevereiro a 9 de março.

Fonte: G1
Imagem destaque: reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *