Responsabilidades e Inclusão

Vivi a pouco tempo uma dessas experiências que nos faz refletir quanto a responsabilidade de cada um de nós na vida das outras pessoas.

Um querido amigo fez a apresentação do seu trabalho de conclusão de curso –TCC, na Universidade Federal da Bahia – UFBA. Poderia ser mais um momento importante na vida deste indivíduo, na vida de seus amigos, mas significou muito mais, estava eu diante de um símbolo social. Um homem que na sua trajetória acadêmica teve que literalmente, subir em mesa, bater com sua bengala e gritar “eu tenho direito …”.

Esse grito ressoou… Para terminar a Faculdade de Comunicação ele teve os seus enfrentamentos pessoais e um investimento próprio, mas também pode contar com apoio de professores do curso, em especial do Núcleo de Apoio da UFBA – NAPE, no qual professores e servidores trabalharam para que os textos se tornassem acessíveis, fizeram áudios, apoiaram professores das salas de aula, e principalmente buscaram fazer que o direito à educação daquele aluno fosse garantido. Direito Constitucionalmente previsto no seu art. 205. “

A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.” Garantia fortalecida pela Convenção dos Direitos das Pessoas com Deficiência aprovada no Brasil como Emenda Constitucional em 2008 e que diz em seu artigo 24: “Os Estados Partes reconhecem o direito das pessoas com deficiência à educação.

Para efetivar esse direito sem discriminação e com base na igualdade de oportunidades, os Estados Partes assegurarão sistema educacional inclusivo em todos os níveis, bem como o aprendizado ao longo de toda a vida…” e lembro ainda a Lei Brasileira de Inclusão – LBI, que vigora em nosso Brasil desde janeiro de 2016, e traz no art. 27: “ A educação constitui direito da pessoa com deficiência, assegurados sistema educacional inclusivo em todos os níveis e aprendizado ao longo de toda a vida, de forma a alcançar o máximo desenvolvimento possível de seus talentos e habilidades físicas, sensoriais, intelectuais e sociais, segundo suas características, interesses e necessidades de aprendizagem.” reiterando em Parágrafo Único “É dever do Estado, da família, da comunidade escolar e da sociedade assegurar educação de qualidade à pessoa com deficiência, colocando-a a salvo de toda forma de violência, negligência e discriminação.”

Tantas normas imprescindíveis sem dúvida no processo de inclusão, mas neste dia especial reafirmei a importância de cada um de nós no nosso papel social, para fazer valer todo o arcabouço legislativo existente e exercitar o direito de todos e de cada um, pois ninguém se faz sozinho, é nossa obrigação como cidadão, garantir que o outro possa ter igualdade de condições para lutar por suas conquistas.

Não se quer mais super-heróis … O objetivo é vivenciar uma sociedade humana e igualitária na qual cada um, na sua singularidade, tenha direito de escolha.

Portanto você aí que chegou até aqui …isso, você mesmo que está lendo esse texto …também é responsável. Afinal, somos todos responsáveis uns pelos outros!!!!

Parabéns ao amigo Ednilson Sacramento, e todo merecido reconhecimento a cada um que esteve com ele nessa jornada.