A promessa de felicidade

Mais um ano finda e as promessas de mudanças, melhorias se reafirmam. De outra maneira, podemos parafrasear Nietzsche, buscamos a promessa de felicidade. Mas em que mesmo se constitui a felicidade?

Vivemos sob a égide da lógica do capital e felicidade é ter sucesso e isso significa ter dinheiro e posse. A ideologia capitalista fomenta no indivíduo que seja ávido por mando e bens, instigando o desenvolvimento das características mais primitivas em nós. Reflitamos com Schopenhauer: “a nossa felicidade depende mais do que temos nas nossas cabeças, do que nos nossos bolsos”…Sendo assim, como romper com esta lógica do capital?

Alguns dirão que é impossível se não mudamos o modo de produção. Nós sabemos que isto se constitui como um grande impedimento, mas acreditamos que não podemos cruzar os braços, ademais, o humano pode surpreender e, segundo uma perspectiva socrático-platônica, a virtude é passível de ensinamento.

Que possamos aprender novas perspectivas para nosso próprio bem e saúde psíquica. Numa dessas pesquisas que os estudiosos de Harvard fazem, disponível para consulta, eles descobriram que as pessoas que não desenvolveram doenças psíquicas ou físicas no decorrer de alguns anos de pesquisa e eram mais felizes estavam vinculadas a duas condições: relações afetivas saudáveis e uma vida com finalidade. Lembrando Aristóteles, e sempre reiteramos esta frase para que não a esqueçamos: “o fim do homem é a felicidade”. Somos seres com a teleologia da felicidade.

Carecemos de nos importar menos com futilidades, não valorizar necessidades supérfluas e sairmos da condição de viver da aparência e superficialidade. Sejamos quem somos simplesmente e busquemos uma melhoria cotidiana.

A felicidade está nas pequenas coisas: no amor que dedicamos, no cuidado que temos com pessoas, coisas e ideias e com o despertar e ampliação da consciência voltada para um bem maior que transcenda o próprio umbigo.Como diz Sartre: “Em sendo responsável por mim, sou responsável pelos outros”.

Que este ano vindouro ajude no nosso processo de transição eterna de encontro consigo mesmo e com o real sentido da vida.