Opinião por Saja | “Tudo que não inventa é falso” Manoel de Barros

opc3a7c3a3o-01-crc3a9dito-fatospointsAbalos civilizatórios, acelerações históricas, civilização do espetáculo, época de mudança/mudança de época, derretimento dos sólidos… Que forças conseguirão amalgamar novos tempos? Onde estão as vozes de combate contra as conveniências, frivolidades, morte da cultura, epistemicidios (morte de conhecimentos alternativos), as soluções para as questões inexistentes?

O que se sabe, é que, os novos tempos não se darão por geração espontânea, por um ou outro agente messiânico equalizador de forças antagônicas, mas, sim, de um exercício árduo e lento de confluências explosivas de diversos agentes comprometidos, cada um a seu modo, com a liberdade, a emancipação, a superação continua das diversas formas de exclusão, do desmanche das cirandas de exceção, das submissões, enfim, uma verdadeira ‘ação-em- concerto, condição da felicidade pública’ (Arendt): o divino social (Maffesoli).

Este mundo que hora embala o sonho da humanidade tem forças e razões para existir? De fato, isto não é dado saber. O que se sabe, é que é chegada a hora, e que ela é agora! Se esta nova ordem não existe, tanto faz, o que verdadeiramente importa é que sempre teremos condições, todas elas de inventá-la.

OPINIÃO por Saja

Doutor em Letras e professor da UFBA.

opiniao tem 6 postagens.Veja todas as postagens de opiniao