O país da piada pronta e da sociedade tonta

Brasil é o país da piada pronta. Mas como diz os Bee Gees na música “I started a joke”, o Brasil não percebeu que a grande piada é ele próprio e que na verdade ri de si mesmo.

A crise econômica e financeira que afunda o país hoje não consegue mobilizar a população no sentido de se movimentar para mudar o atual panorama, doa em quem doer. Pelo contrário, as redes sociais se enchem de piadas e trocadilhos infames e desnecessários, que revelam a incapacidade de um povo em reagir com firmeza diante das ameaças lançadas à mesa, mas consegue rir de sua própria miséria. O roteiro do drama que assistimos hoje não é nenhuma novidade. Ele se repete desde que a monarquia absolutista portuguesa decidiu ocupar o território brasileiro, em cujo nome reside a prova do ecocídio perpetrado pelo colonizador e que está representado na devastação das florestas de pau-brasil.

O roteiro é velho. Atravessou eras nas quais o povo sempre galhofo ria-se da própria miserabilidade e das decisões dos governos sempre populistas e ditatoriais que desde o princípio se revezam ao longo da história mal contada deste país. A População Economicamente Ativa (PEA) que, em 2000, significava 49% da população, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é que sustenta os famélicos e os “abençoados” ganhadores de bolsa família e outros gastos do governo que colocam na estratosfera o déficit público.

Por isto surgem as estapafúrdias ideias e os descompensados projetos de emendas à constituição ou de novas leis que buscam culpabiliza os membros produtores integrantes do PEA que são os usurpadores, na opinião de políticos alucinados como Temer (pronuncia-se exatamente como o verbo temer), do erário público.

É você que trabalha, produz e ajuda a construir a riqueza do país que é responsável pelas decisões inconsequentes e insanas de políticos analfabetos e mau caráter. É você e não eles que roubam a nação e que por isso não merece ter direito à aposentadoria e à segurança social e garantia do emprego.

É você que decidiu fazer parte desta PEA e cuja ação auxilia na manutenção da esbórnia, dos descalabros e da falta de vergonha inerente à classe política, ou seja, como prefere Chomsky, os indecentes da classe especializada que servem desavergonhadamente aos donos do capital, desde sempre.

Como Tiririca já admitiu que a sua carta divulgada nas redes sociais não é sua, valho-me do autor anônimo para dizer que realmente o Brasil é uma piada pronta “não adianta a Justiça condenar (os maus políticos) se o povo absolve”. Isto é, vendem os votos para aqueles que descaradamente já demonstraram quais suas verdadeiras intenções.

E como diz outro anedotista, ao citar Cazuza:”Brasil, qual o seu negócio? O nome do seu sócio?” Não, não é Odebrecht.