Marun acusa Judiciário de ‘retaliação’ contra Previdência e diz que nome de Cristiane Brasil está mantido

O ministro Carlos Marun, que cuida da articulação política do governo, acusou neste domingo membros do Judiciário de tentarem “retaliar” o governo e “atrapalhar” a votação da proposta de reforma da Previdência. O ministro se refere ao caso da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ), que segue com a posse suspensa para o Ministério do Trabalho e é investigada em um inquérito por suspeitas de associação ao tráfico, como informou reportagem do “Estado de S. Paulo” deste sábado. Marun também reafirmou que o governo do presidente Michel Temer insistirá no nome de Cristiane para a pasta.

— Existe uma tentativa de retaliação ao processo político, de membros do Judiciário, em função da eminente aprovação da reforma da Previdência. A retaliação é essa, tentar atrapalhar o andamento do processo — disse, afirmando não acreditar em coincidências em todo o processo:

— Um juiz de primeira instância se acha no direito de revogar ato privativo do presidente, isso nunca tinha acontecido. Era uma coisa que tínhamos certeza que seria derrubada imediatamente, de tão obviamente equivocada, mas não foi. Sinceramente, não sou pessoa que acredita em acasos.

O ministro da Secretaria de Governo criticou ainda o fato de o inquérito que investiga a quase ministra por associação ao tráfico de drogas, que é de 2010, ter sido retomado só agora.

— Acho que vocês não estão vendo, que delegado ou promotor deixa um inquérito parado por 7 anos? Será que sabiam que não tinha precedência e retomaram agora por motivações politicas? Houve prevaricação ou realmente não tinha motivo para andar para frente? — questiona Carlos Marun.

Para o ministro, mesmo com as diversas denúncias contra a escolhida para ministra do Trabalho, “vale a pena” bancar o nome da parlamentar para deixar claro que a prerrogativa de nomear ministros é do presidente da República.

— Lutar pelo estado de direito e pelo respeito à Constituição nunca é demais.

Fonte: O Globo
Imagem destaque: Givaldo Barbosa / Agência O Globo