Edital viabiliza reedição do LP histórico do Sexteto do Beco

Passaram-se 35 anos desde que o único vinil do Sexteto do Beco, grupo emblemático da música instrumental baiana, foi lançado e se tornou referência fundamental de um rico período da música na Bahia. Esgotado no mercado há muitas décadas e transformado em objeto de desejo de artistas e colecionadores ao redor do mundo, o disco, ‘com os cata-ventos na capa’, volta agora ao mercado fonográfico, remasterizado em edição limitada nos formatos vinil e CD, além de ganhar uma versão digital para download e um website com a história do grupo.

Em Salvador, o lançamento acontece neste sábado (10), às 17h, no Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM/BA), na Avenida Contorno, e em São Paulo, um dia antes (sexta-feira, 9), na Patuá Discos, a partir das 18h. O projeto de reedição, viabilizado por meio do Edital Setorial de Música da Secretaria de Cultura do Estado (Secult), é também uma homenagem à memória de dois de seus fundadores – Sergio Souto e Thomas Gruetz, que, junto com Aderbal Duarte, terceiro nome do tripé criador do grupo, influenciou toda uma geração de músicos baianos.

Aderbal, inclusive, ao lado de Andrea Daltro e de outros músicos, será um dos anfitriões da festa de lançamento em Salvador, que se estenderá com um tributo prestado pelo projeto JAM no MAM, na mesma noite – a partir das 18h, a jam session realizada aos sábados, na área externa do MAM-BA, será dedicada ao Sexteto do Beco. Saiba todos os detalhes dessa novidade no site da Secult.

Por: Ascom/Secult
Imagem destaque: Ascom/Secult