Como MÃE vou seguindo Maria… E sempre que necessário GUERRILHEIRA!

“Lá vou eu nos caminhos de Maria, lá vou eu, vou com Deus no coração, lá vou eu, vou irmã, vou companheira, se preciso guerrilheira pisar firme nesse chão…” Tenho esse trecho de música gravado no meu peito desde minha adolescência e ao longo da minha vida, em especial no meu papel materno, pude me ver assim…

Ao me tornar mãe, pela primeira vez há 19 anos, vi despertar a Coruja e a Leoa que moravam dentro de mim. Fui tomada de surpresa quando o meu filhote, de 51 cm e 3.800 kg, foi diagnosticado com Síndrome de Down. Antes de saber que ele tinha um cromossomo a mais nas suas células, pude pegar ele no colo, amamentá-lo, senti-lo muito meu… quando me foi dada a notícia senti uma dor muito forte, mas com o apoio do meu marido e da minha família tive uma certeza: faria tudo o que eu pudesse, daria o meu melhor, para que meu filho tivesse qualidade de vida. Na verdade, não demorou para eu perceber que teria que construir novos conceitos, redimensionar a realidade social na qual vivemos. Meu primogênito nasceu no final da década de 90 e naquele período os ares do que seria Inclusão chegava ao nosso Brasil!!!

Aprendi com Fisioterapeutas, Fonoaudiólogas, Terapeutas ocupacionais, pedagogas, psicólogas, pessoas muito especiais em nossas vidas, um monte de coisas que iriam ajudar no desenvolvimento físico e cognitivo do meu pequeno. Vi também que para além das questões específicas inerentes a ele, tínhamos um mundão pela frente que precisaria ser transformado. E foi assim que comecei a me dedicar a entender as questões das pessoas com deficiência e fazer parte da militância na defesa dos seus direitos.

 

Só tenho a agradecer a Deus pela força e pela coragem do meu filho e a oportunidade de ser mãe de um jovem que enfrenta muitas barreiras, mas também encontrou no seu caminho muitas mãos e corações de grandes educadores que o apoiaram nessa estrada.

Neste momento, entretanto, quero partilhar a conquista de uma mãe… Eu acabo de ver o meu pequeno grande homem se formar no ensino médio, ser homenageado pela escola, preparar um discurso de agradecimento para escola que hoje ele estuda, ser aplaudido de pé pelos colegas, professores e familiares que estavam na cerimônia de conclusão de curso. Só tenho a agradecer a Deus pela força e pela coragem do meu filho e a oportunidade de ser mãe de um jovem que enfrenta muitas barreiras, mas também encontrou no seu caminho muitas mãos e corações de grandes educadores que o apoiaram nessa estrada.

Desde os seus primeiros passos, ainda cambaleantes, quando ele entrou na sua primeira escolinha aos dois anos e meio, até hoje encerrando o ensino médio, vivemos muitos desafios… e ainda temos muito mais pela frente!!!

Parabéns meu filho e na pessoa dele parabenizo a cada jovem que chega a essa conquista, pois sabemos dos seus grandes desafios, que vão além das habilidades pessoais, sendo imprescindível que o entorno oportunize.

E com muita emoção registro um trecho do discurso dele confiando que, sim, vamos em frente: “… Eu tenho que dar tchau!!! Mas confio em Deus, para que eu ache uma nova estrada para que eu vá para onde eu quiser…”

E sim… como mãe, vou seguindo Maria… irmã… companheira… e sempre que necessário Guerrilheira!!!

 

 

Créditos da imagem: i0.wp.com

SER DOWN por Lívia Borges

Assistente Social, membro da Ser Down - Associação Baiana de síndrome de Down.

serdown tem 8 postagens.Veja todas as postagens de serdown

4 thoughts on “Como MÃE vou seguindo Maria… E sempre que necessário GUERRILHEIRA!

  • 12 de novembro de 2016 at 19:16
    Permalink

    Lindo texto ! Linda história ! Belo exemplo! Principalmente a mim e minha família , a vermos nossa pequena Ana Luiza ( 3 anos e meio sd ) alcançar seus objetivos .

  • 12 de novembro de 2016 at 08:19
    Permalink

    Sempre guerreira, sempre com um sorriso no rosto! Parabens pelo texto!

  • 11 de novembro de 2016 at 11:31
    Permalink

    Texto belíssimo e emocionante! Um viva a todas e todos o “guerreiros do bem”. Inclusão Já, tolerância e respeito sempre!

  • 11 de novembro de 2016 at 11:18
    Permalink

    Belo texto! Com a certeza da grandeza das lutas, das conquistas e da importância da construção de uma sociedade inclusiva!

Comentários encerrados.