Barça busca novo milagre; para isso, terá de passar pelo interminável Buffon

Goleiro de 39 anos nunca tomou gol de Messi e lidera defesa da Juventus, a menos vazada desta Champions com apenas dois sofridos. Time catalão precisa de no mínimo três para seguir sonhando

Mesmo cenário, adversário diferente. Há pouco mais de um mês o Barcelona contrariava a lógica ao vencer o Paris Saint-Germain no Camp Nou por 6 a 1 – havia perdido a ida no Parc des Princes por 4 a 0 -, conquistando assim a histórica “remontada” e a classificação para as quartas de final da Liga dos Campeões. Nesta quarta-feira, o estádio catalão mais uma vez será palco de um jogo que promete mexer muito com as emoções. Depois de cair para a Juventus em Turim por 3 a 0, o Barça precisará fazer outro milagre se quiser avançar às semifinais. A bola rola às 15h45 (de Brasília).

A desvantagem do Barcelona desta vez é menor em relação ao confronto com o PSG. Mas a dificuldade que Messi, Suárez, Neymar e cia. encontrarão pela frente promete ser maior. Do outro lado há um gigante chamado Gianluigi Buffon. Ele mesmo, o interminável Buffon, de 39 anos. Capitão da Juventus e da seleção italiana. Considerado por muitos o melhor goleiro deste século.

O Barça precisa vencer por 3 a 0 para pelo menos levar o duelo à prorrogação – se sofrer um gol, terá de ganhar por uma diferença de quatro. O problema é que Buffon e a excelente zaga da Juventus sofreram apenas dois gols nos nove jogos disputados até agora nesta Champions. Trata-se da defesa menos vazada da competição, com média de 0,22 gol sofrido por partida. Na ida, o camisa 1 deixou seu cartão de visitas ao fazer uma defesa espetacular em chute de Iniesta, que àquela altura poderia ter empatado o placar em 1 a 1. É difícil imaginar que ele terá o mesmo destino de Kevin Trapp, do PSG.

Buffon no reconhecimento de gramado no Camp Nou: ele será peça-chave para a Juventus (Foto: REUTERS / Albert Gea)Buffon no reconhecimento de gramado no Camp Nou: ele será peça-chave para a Juventus
(Foto: REUTERS / Albert Gea)

Mais uma estatística a favor de Buffon: o experiente italiano jamais tomou gol de Messi, caso raríssimo entre os goleiros da elite do futebol mundial. O argentino tentará quebrar ese tabu para ajudar o Barça a cumprir sua difícil missão.

“Muro de Turim” tem Buffon, Bonucci e Chiellini

A sólida zaga formada por Bonucci e Chiellini é outro ponto forte da Juve. Os dois e Buffon são a base do time e da seleção italiana há anos. Além deles, os laterais também se destacam no esquema de Massimiliano Allegri. Os brasileiros Daniel Alves e Alex Sandro fizeram grande partida contra o Barça na semana passada e foram bem tanto na parte ofensiva, quanto na defensiva. A dupla anulou o trabalho pelas pontas de Neymar e Messi, respectivamente.

Por falar em Dani Alves, o lateral-direito é um dos grandes personagens do duelo. Ele atuará pela primeira vez no Camp Nou desde que deixou o Barça e foi para a Juve, no meio de 2016. No reencontro com a ex-casa na véspera, para o tradicional reconhecimento do campo, o camisa 23 deu até beijo no gramado.

Trio MSN x Muralha de Turim, formada por Buffon, Chiellini e Bonucci (Foto: Editoria de arte)Trio MSN x Muralha de Turim, formada por Buffon, Chiellini e Bonucci (Foto: Editoria de arte)

– Estou muito emocionado de estar de volta. Não tive antes a oportunidade de voltar e pisar no gramado do Camp Nou. Acho que temos 60% de chances de se classificar e o Barça 40%, com todo o respeito, mas sabemos que todos os jogos são complicados no Camp Nou e queremos marcar gols. Não apenas nos defender. Temos a intenção de machucar o Barça e um gol faria muita diferença – analisou Daniel.

Uefa vê Juve com 94% de chances

A Uefa publicou um levantamento em que aponta a Juventus amplamente favorita à vaga na semifinal. As chances de avançaresm os italianos, segundo a entidade, são de 94,4%. O critério foi buscar o histórico das 467 vezes em que a equipe que fez o primeiro jogo em casa largou com uma vitória por 3 a 0. Em 441 das ocasiões (ou 94,4% do total), ela se classificou, enquanto viu o placar virar em 26 oportunidades (ou 5,6%).

Só que a entidade faz uma ressalva importante: nas oitavas, o Barcelona, dentro desse critério, tinha uma probabilidade de 0% diante do Paris Saint-Germain, já que a equipe visitante sempre foi eliminada nas 58 ocasiões em que perdeu a primeira partida por 4 a 0. Mas o Barça foi lá e… Já sabemos o final. Duvidar do time catalão pode trazer consequências.

Suárez, Messi e Neymar são a esperança do Barça para uma nova Suárez, Messi e Neymar são a esperança do Barça para uma nova “remontada” (Foto: Reuters)

Barça venceu todas em casa com Luis Enrique

O alento para o Barcelona é que desde que Luis Enrique assumiu o time catalão, no meio de 2014, eles nunca perderam no Camp Nou pela Champions. Nem empataram. Foram 15 jogos e 15 vitórias, 100% de aproveitamento. E o técnico está bastante confiante de que outro milagre acontecerá nesta terça. Por isso fez um pedido à torcida.

– Não saiam aos 35 minutos do segundo tempo, pois contra o PSG saíram quatro e perderam. Tentaremos até o final. O que vivemos na noite do PSG… Teremos outra oportunidade de viver uma noite histórica. Vamos fazer todo o possível, até os 95 minutos juntos. Marcamos três gols em três minutos. Tudo é possível – lembrou o comandante.

Empolgado, o Barcelona chega com força máxima ao jogo. Busquets, que estava suspenso na ida, retorna nesta quarta. Na Juve, a dúvida era se Dybala – o craque do primeiro duelo, com dois gols – estaria à disposição mesmo com dores no tornozelo. Mas ele se recuperou, treinou normalmente e vai tentar mais uma vez infernizar a defesa do Barça.

Escalações prováveis:

Barcelona: Ter Stegen, Piqué, Mascherano e Umtiti; Busquets, Sergi Roberto, Iniesta e Rakitic; Messi, Suárez e Neymar. Técnico: Luis Enrique
Pendurados: Neymar, Suárez, Piqué e Rakitic

Juventus: Buffon, Daniel Alves, Bonucci, Chiellini e Alex Sandro; Khedira e Pjanic; Cuadrado, Mandzukic, Dybala e Higuaín. Técnico: Massimiliano Allegri
Pendurados: Cuadrado, Mandzukic e Khedira

Árbitro: Björn Kuipers (Holanda)
Assistentes: Sander van Roekel (Holanda) e Erwin Zeinstra (Holanda)

Fonte: Ivan Raupp, GloboEsporte.com
Imagem destaque: GloboEsporte.com