Bahia inicia o segundo turno hoje, contra o Atlético-PR

Tricolor goleou o adversário por 6×2 na estreia do campeonato, na Fonte Nova; dessa vez o jogo é na Arena da Baixada, em Curitiba

Imaginar um início de segundo turno tão bom quanto a estreia da Série A seria um sonho para o torcedor do Bahia. Mas ainda que a goleada por 6×2 na Fonte Nova não se repita, um simples  triunfo neste domingo (13), às 19h, na Arena da Baixada, contra o Atlético Paranaense, já garantiria a alegria dos tricolores.

Naquele 14 de maio, o time terminou a primeira rodada na liderança por causa do saldo de gols, mas, apesar do começo arrasador, teve problemas no decorrer da competição e o objetivo agora é melhorar o aproveitamento para fazer um campeonato tranquilo, sem ameaça de rebaixamento.

O Bahia terminou a metade inicial do Brasileirão em 13º lugar com 23 pontos, quatro acima da zona de rebaixamento.

“Até na conversa com os jogadores, principalmente depois desse último jogo contra o São Paulo, a gente falava da importância de fazer um segundo turno melhor do que o primeiro. A gente fez jogos bons, às vezes jogando até melhor que o adversário, porém pecando nos detalhes. Contra o Grêmio tomamos gol no finalzinho, contra o Avaí tomamos gol no finalzinho, já seriam aí quatro pontos a mais que nos dariam uma condição muito melhor na tabela”, disse Preto. “O mais importante é conscientizar os atletas da importância de ter concentração o tempo inteiro”.

Para o treinador interino, o tricolor vai encontrar em Curitiba uma equipe totalmente diferente da que foi goleada na estreia. Na ocasião, o Atlético Paranaense havia poupado jogadores porque estava disputando a Copa Libertadores em paralelo.

“Não tem nada a ver com aquele time do primeiro turno. Aquele já era um time alternativo porque eles tinham um jogo importante, pouparam vários jogadores. Assisti ao jogo contra o Santos e o time do Atlético acho que fez a melhor partida deles no ano. Um time muito rápido, de muito toque de bola, uma transição ofensiva rápida. Jogadores muito inteligentes, Lucho, Guilherme, Sidcley, toda a equipe muito qualificada. Vem em um momento crescente depois da chegada do (técnico) Fabiano”, elogiou Preto.

Para ele, o mais importante é que o time mantenha a organização tática, principalmente nas linhas de meio-campo e defesa. “Brasileiro não vai ser diferente nunca, nenhum jogo. Sempre um jogo difícil, um jogo truncado, de inteligência. A concentração é fundamental. A gente tentou fazer um trabalho de posicionamento, das duas linhas de quatro mais atrás para eles não terem dúvida daquilo que têm que executar”.

Ainda sem saber se será efetivado ou não, Preto destaca o bom ambiente que o elenco vive e garante que não está ansioso quanto à decisão que partirá da diretoria. “Não fico ansioso. Pelo fato de estar feliz, de fazer o que eu gosto, de estar satisfeito num clube que tem um ambiente muito bom, não só dentro de campo, mas nos bastidores também, isso me dá a certeza que eu tomei a decisão certa e eu vou trabalhando com tranquilidade, sem pressão, sem ansiedade, até para que isso não atrapalhe meu rendimento na produção do dia a dia”, afirmou.

Prováveis escalações
O Bahia terá duas mudanças em relação ao time que venceu o São Paulo por 2×1 na Fonte Nova, na rodada anterior. Na lateral esquerda, Matheus Reis entra no lugar de Armero, lesionado. Na zaga, Eder substitui Lucas Fonseca, que teve a punição de dois jogos mantida pelo STJD devido à expulsão no jogo contra o Flamengo. Já cumpriu um.
Além deles, Preto não contará com Vinícius e Allione, vetados pelos médicos.

O provável time titular terá Jean, Eduardo, Tiago, Eder e Matheus Reis; Edson, Renê Júnior, Zé Rafael, Régis e Mendoza; Rodrigão.

A principal novidade entre os relacionados é a volta do volante Yuri, após cirurgia no joelho. Ele não entra em campo desde janeiro, quando atuou diante do Estudiantes e do Wolfsburg, pela Flórida Cup, torneio de pré-temporada disputado nos EUA.

O Atlético-PR, do técnico Fabiano Soares, deve jogar com Weverton, Jonathan, Thiago Heleno, Wanderson e Sidcley; Eduardo Henrique, Pavez, Lucas Fernandes, Guilherme e Nikão; Ribamar.

Fonte: Bruno Queiroz, Correio
Imagem destaque: Felipe Oliveira/ EC Bahia

Deixe uma resposta